Entrevistas
  Ponto de Vista  
Roberto Carlos Capixaba
Vestido de terninho branco e blusa azul Fábio ‘Carlos’ Farias fez a festa para os convidados da Parada Gobetti na cerimônia de entrega da escultura gigante aos fãs do Rei.

Distribuiu botões de rosas vermelhas para as mulheres, posou para fotos e esbanjou alegria no show graça ao ar livre de para quem chegasse.

Bancário aposentado, Fábio mora em Vila Velha. De tanto imitar o Roberto, Fábio assimilou trejeitos dele jeito de sorrir, vestir azul e fazer sapatos sobre medida. Casado com Geisa, 52 anos, têm três filhas Fabiana, 34 e Manuela, 22 e Lívia, 20.

Entrevista

DDC - Quando despertou essa paixão pela música do Rei?

-Aos 11 anos depois que ouvi ‘Calhambeque’ no rádio. Identifiquei-me com aquele som de Roberto e Erasmo Carlos. Em Guaçui havia um teatro onde pessoas faziam imitações da Jovem Guarda. Gostei na hora e não larguei nunca mais.

DDC-Há quanto tempo você faz esse trabalho, qual a estrutura do show?

- Uns 30 anos mais ou menos. O show dura em média 1h 30. Não canto em barzinhos. Tenho um grupo com 14 músicos. Hoje vivo das canções do Roberto.

DDC-Você já esteve com o Roberto Carlos? Ele te conhece? O que você guarda do Rei?

Duas vezes em shows no Álvares Cabral. Também estive na porta da casa dele toque a campanhinha, mas as pessoas começaram a se aglomerar quando me virei foi o maior tumulto. Tenho três coleções de todos os discos dele, vinil, cd e coletâneas. Fui citado por ele em uma entrevista sobre covers onde afirmou: ‘o meu conterrâneo Fábio faz um bom trabalho.

DDC- Qual a música do Rei que mais te toca?

-Gosto das Curvas de Santos, em clima de Big Band Imoral, Ilegal ou Engorda.
Fonte: Nilo Tardin