Esportes
Tataia...jogador espetacular
Tataia passou por Colatina jogando pelo TUPY de Juiz de Fora contra o nosso grande UACEC na gestão de Henrique Denicoli.

Novamente voltou a cidade mas desta vez fazendo parte da equipe do Botafogo do Rio. Num jogo amistoso entre UACEC x BOTAFOGO-RJ, quando descíamos para o gramado passamos por um «jovem canela seca e de cabelo Black Power« sentado no banco de reservas do Botafogo e nos lembramos dele da partida anterior no time mineiro. Naquele mês íamos disputar a final do campeonato local e logo a seguir começava o Estadual. Precisávamos fazer algumas contratações e aí recebemos a informação que o Canela Seca estava em São Manoel de Mutum na casa do grande goleiro Nelson Barcelos, seu pai de criação. O Henrique Denicoli mandou emissário busca-lo para nossa equipe.
No primeiro dia de treino, chega o canela seca com aquele cabelão para ser apresentado aos demais jogadores.Perguntado o seu nome, soltou Altair Balduino, comecei a rir e para sacanea-lo e deixa-lo à vontade tomei a liberdade de pedir a palavra e falei que com aquele nome não dava pra jogar e que de agora em diante o chamaríamos de « Tataia«.

Foi muita gargalhada e a coisa pegou.O cara jogava muito, uma resistência de fazer inveja, dava 75 voltas no gramado em pleno meio dia.

Me deram a responsabilidade de dar apoio ao mesmo e como ele não estudava eu o matriculei num colégio e sempre estava ao seu lado. Ele jogava no Rio de atacante e começou no UACEC também atuando lá na frente, bom de cabeça, veloz, altamente técnico , sabia os atalhos, bom garoto, coração bondoso, extrovertido, sempre com um sorriso nos lábios, todo mundo o adorava, um companheiro sensacional. Aí vem suas historias ( conheço várias), num jogo contra o Colatinense deram tanta pancada nele que foi parar no hospital. No outro dia bem cedo fui busca-lo e ele estava dormindo, peguei uma caneta e acrescentei na receita dele « tomar banho três vezes ao dia« e contei para toda a turma, ele sofreu com as gozações. Depois da UACEC foi jogar comigo no São Silvano, e numa manhã no campo do Vitoria, nosso time perdia de 2 x 0 e o ponta esquerda do time adversário começou a fazer firula com a bola querendo nos humilhar, ele foi até ao banco de reserva e falou pro técnico do Vitoria, manda seu ponta parar de fazer gracinha senão vou manda-lo pro raio x, os caras do banco acharam engraçado e não acreditaram, não deu outra coisa, levou o cara pro canto do campo e o ponta novamente foi fazer gracinha, saiu de maca, nós quase morremos de rir.
Numa outra partida contra a DESPORTIVA, ele estava suspenso por cartão amarelo, mas disse que ia jogar assim mesmo, começamos a rir e ele viajou conosco. Chegamos no Engenheiro Araripe,ele trocou de roupa assinou a sumula e na escalação deu o nome de «BALDUINO«, as rádios começaram a noticiar que o S.Silvano mandava a campo um novo jogador, ninguém aguentava de rir e ele na maior cara de pau entrou em campo, o delegado do jogo ficou apavorado e nervoso correu com o árbitro reserva e o tiraram de campo...deu o que falar na imprensa.....o Tataia era muito parceiro, a gente era muito ligado nele, num jogo contra o Rio Branco no Governador Bley, Baiano foi ao ataque e chutou a gol, a bola passou mais de um metro fora, o árbitro deu gol, a própria torcida do Rio Branco que estava atrás da trave começou a xingar o juiz e dizer aos gritos que a bola foi fora, neste momento corremos pra cima do bandeirinha, o TATAIA chegou já chutando a canela do bandeira, o cara mancava e apontava para colocar a bola no tiro de meta, o juiz anulou o gol e ele quase caiu no gramado de tanto rir. Um menino que deixou saudade, muito educado, espirituoso, gente do bem, corajoso, voluntarioso e amava a nossa Colatina.
Fonte: Jorge Souza/Facebook