Manchete
  Primeira Página  
    
12/12/2017
Ações de combate ao Aedes antensificadas em Vila Pavão
Com a chegada do período chuvoso, as condições para a reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da dengue, Chikungunya e Zika, ficaram muito mais favoráveis. Por isso, a secretaria municipal de Saúde de Vila Pavão está intensificando as ações de combate à doença.

Além do serviço de rotina que é realizado todos os dias, equipe da Vigilância em Saúde vem realizando palestras nas escolas, comunidades, campanhas de esclarecimento, entre outras ações.

Na ultima sexta-feira. 8 Dia D de combate ao mosquito, a secretaria e Saúde do município promoveu uma mobilização pelas ruas da cidade com fixação de cartazes, distribuição de panfletos explicativos e orientação para a população. A ação envolveu moradores, comércios, oficinas mecânicas e outros estabelecimentos.

De acordo com a Enfermeira Letícia Pianna, coordenadora da Vigilância em Saúde de Vila Pavão, o objetivo da movimentação é alertar e orientar a população sobre a importância de eliminar os focos da dengue. “Mesmo antes do período chuvoso, os agentes de endemias em visita às residências já haviam encontrado muitos focos do mosquito. Há inclusive na cidade pessoas com suspeitas de dengue. Então, a população precisa ficar alerta”, orientou.

Algumas dicas para ter um verão com muita saúde e sem o perigo da dengue

A dengue é uma doença virótica transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti e pode ser mortal. O mosquito começa a se reproduzir durante os meses mais quentes, quando as chuvas são mais abundantes. A reprodução se dá justamente em poças de água limpa e parada. O mosquito põe os ovos e depois de algumas semanas as larvas eclodem. O verão é a época de maior incidência da doença e, para prevenir a transmissão, algumas medidas são necessárias.

Não deixe acúmulo de água. A água da chuva pode se acumular em garrafas, pneus, ou qualquer outro reservatório. Após os períodos de chuva, verifique se não ficou água acumulada em algum local.

Ponha areia nos vasos das plantas. Em vez de usar água para as plantas, use areia ou pó de café nos pires dos vasos e, então, coloque água. A água contida é suficiente para manter as plantas vivas, mas sem ser um ponto de depósito dos ovos do mosquito da dengue.

Faça furos nos pneus velhos. Os furos permitem que a água acumulada escorra, não ficando parada e, assim, evitando que o mosquito se reproduza.

Cuidado com a caixa d’água. A caixa d’água é um excelente reservatório para os ovos da dengue. Mantenha-a sempre fechada e a limpe frequentemente com produtos especializados para a limpeza de caixas. Isso também vale para poços, cisternas e caçambas que se acumulam água.

Remova folhas e galhos das calhas. Esses objetos, assim como outros (flores, pedaços de garrafa, etc) impedem que água escoe e então, se acumula. Verifique semanalmente o estado de calhas, canos e ralos.

Evite cultivar plantas aquáticas. A água das plantas aquáticas é limpa e propícia para a reprodução da dengue. Durante o pico da dengue, plante outros tipos de planta.

Mantenha latas e garrafas emborcadas para baixo. Isso evita que a água da chuva se acumule e fique parada por muito tempo. O ideal é jogar garrafas, latas e latões fora ou não deixá-los expostos.

Use telas protetoras. A tela protetora evita que os mosquitos entrem na sua casa, mas não impedem que ele se reproduza. O uso de telas e tecidos nas janelas é uma medida complementar e deve ser associada às outras práticas para evitar a reprodução do Aedes.

Cuide das piscinas. As piscinas são normalmente difíceis de tratar por possuem um volume grande de água. Se você não a está utilizando, cubra-a com uma lona. Trate a água da piscina com cloro e outros desinfetantes de água.

Preste atenção ao lixo. Muitas pessoas pensam que os lixos, por acumularem água suja, não apresentam perigo à dengue. Mas a verdade é que se há água acumulada, há a possibilidade de reprodução do mosquito. Para isso, vede os sacos de lixo e não os deixe expostos.




Fonte: Cléber Sabino/Assessoria