Opinião
  Palco de Idéias  
Saída Temporária: Perigo nas Ruas?
Com a aproximação do Dia das Mães, volta à tona a questão das saídas temporárias dos presos, que colocaria milhares de bandidos nas ruas, deixando, desta forma, a cidade mais violenta.

Estas saídas acontecem em datas como o Natal/Ano Novo, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais e Finados, por exemplo, e servem à ressocialização do indivíduo que está cumprindo pena.

Os casos que despertam atenção e curiosidade neste ano são das condenadas Suzane Von Richthofen e Anna Carolina Jatobá, que deixaram a cadeia na quinta-feira (10/05) e retornarão apenas na terça-feira (15/05), sob protesto da população.

O advogado criminalista, Dr. Luiz Flávio Filizzola D’Urso, Conselheiro da OAB/SP, explica que “este é um benefício exclusivo para presos que estejam cumprindo pena no regime semiaberto e, em geral, já estão nas ruas diariamente, além de preencherem alguns requisitos previstos na Lei de Execuções Penais, como o bom comportamento”.

Dr. Flávio D’Urso ressalta que “esta é uma medida extremamente importante, quando observados os objetivos da pena, especialmente a ressocialização do preso, uma vez que auxilia no retorno gradual ao convívio social”.

O criminalista finaliza: “Será quase impossível haver ressocialização do indivíduo enquanto a sociedade não se interessar pelo sistema prisional brasileiro, nem pelos seus institutos que, ao final, visam a proteção social e uma vida harmônica”.
Fonte: Luiz Flávio Filizzola DUrso/OAB/SP