Segurança
Primo do goleiro Bruno revela local onde Eliza Samúdio foi enterrada
Corpo de Eliza Samúdio estaria em um local próximo ao Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte
O primo do goleiro Bruno, Jorge Rosa Sales, de 21 anos, afirmou nesta quinta-feira em entrevista à Rádio Tupi que Eliza Samúdio está enterrada num terreno próximo ao Aeroporto Internacional de Confins, em Belo Horizonte.

A revelação sobre o paradeiro do corpo da amante do ex-capitão do Flamengo surge quatro anos após seu sumiço. A informação é do Jornal O Dia.

«Ela (Eliza Samúdio) foi assassinada e enrolada num lençol e colocada num saco preto, e levada para uma chácara próximo ao aeroporto de Belo Horizonte. Tiramos ela dentro do porta-malas do carro e no local já tinha um buraco bem fundo feito com uma retroescavadeira. Quando chegamos, o buraco já estava pronto. Ela está enterrada lá«, contou

De acordo com Jorge, diferente do que foi relatado no início do caso, Eliza teve somente sua mão cortada pelo ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, enquanto era asfixiada por Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão. Na frente de Bruninho (filho de Eliza e Bruno), Bola utilizou um facão para cortar a mão dela na casa onde o ex-policial morava.

«Nesse dia estávamos eu, Macarrão, a criança (Bruninho) e o Bola. Ele (Bola) tirou um pedaço da mão mesmo. Ela foi cortada com uma faca de açougue. O macarrão a segurou ela e o Bola cortou a mão. Ela está enterrada com o corpo inteiro«, disse Jorge, afirmando que o crime aconteceu na casa do ex-policial.

Jorge acredita que o goleiro Bruno não sabia que Eliza Samúdio seria morta. «O Bruno não sabia de nada. Não é porque é meu primo, pois isso nao vai mudar a condenação dele. Ele só soube (do sequestro) disso quando ele a viu machucada no dia seguinte. Ele ficou doido, perguntando o que ela estava fazendo lá. O Bruno questionou o que iria fazer com ela, foi quando o Macarrão disse: µnão vai ter mais jeitoµ. Depois eles foram para o escritório do Bruno e conversaram. Em seguida, o Macarrão voltou falando que a gente iria viajar«.

Jorge explicou o motivo de ter mudado sua versão diversas vezes desde o início do caso. «Foi muita pressão. Eu inventava, pois falando a verdade eles não iriam me soltar. O meu advogado pedia para eu tentar mudar as coisas, para eu mentir. Eu era menor, não sabia o que era estar preso. Tinha uma delegada (Ana Maria) que ficou muito em cima de mim. Aí eu peguei e fui criando uma história em cima da outra«, afirmou.

Condenado no ano passado, Bruno está preso desde julho de 2010 e cumpre pena de 22 anos e 3 meses de reclusão pela morte de Eliza Samúdio, no presídio de Segurança Máxima de Francisco Sá, no norte de Minas Gerais. Bola foi condenado pelo mesmo período, já Macarrão cumpre pena de 15 anos.
Fonte: Sol Quadrado